sábado, 30 de outubro de 2010

A origem dos meus "ismos"

Obviamente os meus pais não criaram uma criatura normal e por isso eles não podiam bater bem da bola. Eu nasci um tanto diferente de tudo isso que me cerca (ainda bem, né). Minha mãe me revelou que quando estava grávida de mim, de 3 meses, tinha acabado de assumir a liderança do movimento das mulheres (algo ligado ao feminismo). E ai entendi todo esse meu inquietamento, essa paixão pela politica que ninguém entende, o meu feminismo, meus ismos, sabe? E eu acho que de alguma forma, no dia que minha mãe assumiu a liderança do movimento, eu gostei pra caramba e vibrei junto com ela.
Meu pai sempre foi votar (e ele sempre me levava junto) com muita alegria de estar lá, aquilo me enchia de esperança e orgulho, pq eu entendi que o voto era minha arma.

Meu pai já faleceu, mas antes disso me deixou sua ultima lição. No final de 2004, quando todo mundo começava a falar mal do governo Lula, ele me disse: "Minha filha, você tem que enxergar além! Acreditar no que a mídia diz é desacreditar em tudo que você luta. Eu acredito no Lula, sempre. Dê um tempo pra ele e você vai ver." Eu não entendi muito naquele momento, mas eu comecei a pensar sobre. Em maio de 2005 ele faleceu e desde então eu luto pelo Brasil que ele sonhou e que ele me ensinou a sonhar, um Brasil que tem direito a esperança. E se hoje sou militante e faço tudo o que faço é para honrar tudo que meus pais lutaram. Minha mãe vibra quando me vê tão envolvida, em ver que eu quero fazer o movimento social acontecer e que meus pensamentos são contrários a essa ditadura silenciosa que é imposta.
Eu fico muito feliz de minha educação ter sido dessa forma e sei que pra muitas pessoas não foi assim, pra alguns falar de política dentro de casa é proibido. E por isso que minha obrigação de lutar por tudo que acredito é ainda maior. Além disso, sei que se meu pai estivesse aqui estaria lutando e debatendo politica com muita gente, assim como minha mãe ainda faz. Faço por mim e por ele.

Falei tudo isso, para dizer que amanhã não é só a Thayz que vai até a urna votar, não irei sozinha nunca! São meus ideais, minha luta, a vibração da minha mãe dentro de mim e com meu pai no coração, vamos todos juntos eleger Dilma, a primeira MULHER PRESIDENTA DO BRASIL!

3 comentários:

LIVIA disse...

que depoimento lindo!sua familia sabem educar para pensar.poucos tem esta sorte!eu me fiz livre pensante por mim mesma.corri atrás.meu pai militar(nao falava de politica(questao obvia)minha mae,uma dona de casa típica.sorte que nenhum dos dois eram religiosos.Busquei minha informaçao pois sempre fui curiosa e duvidei de tudo.Sofri por isso em casa e na escola.Lula provou capacidade ,equilibrio e deu ao Brasil a independencia economic.nos livrou do FMI que nenhum governo quis fazer. fazer de uma mulher sucessora e a coroaçao de um politico ,humano de grande envergadura .espero,aguardo ansiosa o fim da eleiçao para comemorarmos a vitoria de dilma,que será a vitoria do brasil,do povo e da democracia e avançosocial.abraço.livia

Borboletas nos Olhos disse...

Lindo post, linda família (fiquei com vontade de falar da minha. Também aprendi a alegria de votar com meus pais e tantas outras coisas boas). Ah, linda foto da guerrilheira presidente...

Ivo Serentha and Friends disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.