terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Não, não posso parar...

Como diria o refrão de uma das suas músicas prediletas: não, não posso parar, se eu paro eu penso, se eu penso, eu choro.
Se você estivesse aqui, iria tomar um chopp comigo? Ou talvez, ficar empolgado e colocar na cabeça que iria ver a posse da Dilma, eu acho que você iria e também vibraria com todos os feitos do governo Lula, no qual você sempre acreditou e me ensinou a acreditar. Será que mesmo depois de tantos anos, iria continuar falando pra mim que tudo iria dar certo (e sempre dá)? Iria continuar lendo tudo que eu escrevo, me incentivando, me amando... Sem dúvida estaria por ai, com um olhar crítico e curioso no mundo, no qual herdei com muito orgulho. Será que você continuaria me ensinando que todos somos um só, me mostrando onde e como existe o preconceito? Com certeza continuaria com o seu humor absurdo, que era só seu! Animava qualquer lugar que chegava, aliás, alegrava até onde não estava, como hoje me alegra mesmo sem não estar do meu lado.

Eu não sei como, mas todos os dias eu sinto saudades. Hoje, em especial, gostaria de saber como seria se você estivesse aqui. Certamente, seria muito mais fantástico, pq de alguma forma você tornava minha vida encantada, um conto de fadas. Você, meu pai, é quem me faz levantar cedo todos os dias na esperança de que um dia tudo deixe de ser só esperança e vire um fato consumado.
É você e eu te amo. E eu queria muito, muito, te dar um abraço! Como eu não posso, eu tento abraçar o mundo inteiro na esperança de você estar lá.

Um comentário:

Alisson C.K. disse...

Lindo sua homenagem e texto meu amor! Bonito ver o quanto ama o seu pai!